Domingo , Setembro 29 2019
Home / Noticias / Press / 2004.04.02 – PORT’S PARADISE – Nós hoje temos 4 propriedades (Quintas da Abelheira, Confradeiro, Muros e Portal)

2004.04.02 – PORT’S PARADISE – Nós hoje temos 4 propriedades (Quintas da Abelheira, Confradeiro, Muros e Portal)

Editamos peça jornalística relevante sobre o Vinho do Porto e o Alto Douro Vinhateiro, feita pela PORT’S PARADISE

PEOL

Portal

A PORT’S PARADISE, continua na senda de entrevistar as principais figuras do sector do Vinho do Porto. Numa iniciativa denominada ” PERSONALIDADES DO EMBAIXADOR ON-LINE “, estas pessoas são personagens dos dias de hoje que todos conhecemos e que pelo seu saber e opinião, nos irão revelar factos e quiçá, opiniões menos esperadas ou mesmo polémicas.

Homens e mulheres, descendentes de famílias centenárias no comércio do Vinho do Porto, Presidentes dos Principais Organismos do Sector, Presidentes das Adegas Cooperativas e Responsáveis pelas mais famosas Quintas do Douro, Membros Governamentais ligados ao Sector, todos, mesmo todos, são convidados a falarem de si, a falarem ao sector e sobre o sector, e por último, a falarem aos nossos amigos leitores cibernautas e visitantes da página PORT’S PARADISE.

Sendo assim, nesta News Release, iremos editar a entrevista feita no passado dia 2 de Abril, a uma importante personalidade do sector do Vinho do Porto. A PORT’S PARADISE, teve o prazer de entrevistar JOÃO MANSILHA BRANCO, (que junto com seu irmão, PEDRO MANSILHA BRANCO), conduzem os destinos da QUINTA DO PORTAL, que simpáticamente nos recebeu, nesse passado dia 2 de Abril, pelas 14:30, nos escritórios da Quinta, na Cidade do Porto, e que em discurso directo, respondeu assim às seguintes perguntas, formuladas pelo nosso repórter Luís Moreira:

1 – PP – Senhor João Mansilha Branco, muito obrigado por nos receber e se mostrar disponível para falar com a PORT’S PARADISE e participar na nossa iniciativa de entrevistar pessoas importantes ligadas ao Vinho do Porto, intitulada PERSONALIDADES DO EMBAIXADOR ON-LINE.

2 – PP – No que toca ao Vinho do Porto, e desde os tempos da sua infância, quais foram ou são para si, as grandes referências ou símbolos acerca do velho embaixador ?

2 – JMB – O Vinho do Porto e as Quintas no Douro, são as minhas primeiras memórias, penso eu. Nasci no Porto, mas as minhas férias eram essencialmente passadas no Douro. A nossa Quinta fica na zona do Vale do Rio Pinhão, entre Favaios e o Pinhão, perto da Quinta do Noval, ao lado da Quinta do Fojo e das Manuelas, portanto estamos numa situação bastante privilegiada, com uma vista fantástica, e realmente as minhas memórias estão nas vindimas e nas lagaradas, no pisar da uva, e mesmo com 12 ou 13 anos, fazia as vindimas completas, o que me é grato recordar.

3 – PP – Em termos de vinhos do Porto, quais são as ” jóias da coroa ” da vossa casa ?

3 – JMB – A Quinta do Portal, hoje em dia, teve realmente uma evolução de um projecto familiar, para um projecto empresarial (continuando também, familiar) , mas com uma dimensão mais comercial e mais dinâmico. Em 1974, os meus pais herdaram a Quinta que era do meu avô, e a partir dai iniciou-se o projecto Quinta do Portal. A primeira Quinta era a dos Mouros, depois em 1978, comprou-se mais uma propriedade, e finalmente em 1991 compramos mais 2 entre as quais se insere a Quinta do Portal, que deu o nome ao nosso projecto actual. Sobre o Vinho do Porto, nós dedicávamo-nos até há cerca de 10 a 15 anos, a envelhecer tawnies com indicação de idade, portanto não se vendia, para o envelhecermos e recentemente temos também os Vintages, que só começamos a sua produção na década de 90 do século passado e que entre outros, quero destacar os nossos Vintages de 1997 e de 2000. Temos um vinho que eu também considero excelente, o Sala Risor Port, que é uma imagem de marca da empresa e também imagem visual, com uma garrafa muito bonita, com um produto muito interessante lá dentro. Por fim, temos os vinhos com indicação de idade como já disse, recentemente lançou-se o Colheita 1994, que teve uma excelente aceitação e também foi premiado recentemente, assim como o Vintage 2000 que teve uma medalha de ouro no Wine Challenge de 2003.

4 – PP – O que pensa do sector do Vinho do Porto e do Douro Vinhateiro, no momento actual, agora que foram aprovados dois diplomas importantes, como sabe, os novos Estatutos da Casa do Douro e a nova Lei Orgânica do
IVDP ?

4 – JMB – Eu penso que de tudo isto, deverá existir e sair uma clarificação que não existia anteriormente, e por consequência, – penso que é importante -, a fusão de algumas competências agora no IVDP, o que aliás antes, – IVP -, já nos oferecia uma credibilidade que nos deixava satisfeitos e penso que estamos a enveredar por um bom caminho.

5 – PP – Que opinião lhe merecem o Eng. Monteiro, Presidente do IVDP e o Presidente Manuel dos Santos, Presidente da Casa do Douro ?

5 – JMB – O Presidente do IVDP é uma pessoa que entrou muito bem no sector, e que conseguiu um consenso junto das casas de Vinho do Porto e penso que está a desempenhar um papel válido, tanto assim é, que foi reconduzido e apoiado por todo o sector. Eu sobre a Casa do Douro, nesse particular, não tenho opinião nem acompanho muito, mas posso dizer que a Casa do Douro perdeu grandes oportunidades durante a sua existência e última existência, ainda hoje não sabemos bem o que se passou, mas perdeu oportunidades e poderia estar com outra força no Douro.

6 – Fale-nos por favor da vossa Quinta do Portal, em termos de gestão, características e produção ?

6 – JMB – Nós hoje temos 4 propriedades (Quintas da Abelheira, Confradeiro, Muros e Portal), 2 em cada encosta do vale do rio Pinhão, no concelho de Sabrosa e as outras 2 na zona de Favaios. A área aproximada é de 100 hectares e com classificação de A a D. O Vinho do Porto representa 60 a 70% da nossa produção.

7 – PP – Em termos de futuro, quais são as grandes prioridades para vós ?

7 – JMB – A grande aposta é na área comercial, andamos no estrangeiro a divulgar o nosso Porto como também o nosso DOC Douro, estamos a entrar em diversos Estados dos Estados Unidos, uma aposta importante, já estamos no Canadá, no Reino Unido, na Bélgica, Holanda, França e também os Países do Leste Europeu, são uma aposta para nós.

8 – PP – Uma pequena provocação, excluíndo os vossos, diga-nos qual é para si a maior figura, o maior símbolo e a melhor Casa/Quinta do Vinho do Porto ?

8 – JMB – Uma personalidade para mim que marca muito o Douro é a ” Ferreirinha “, de seu nome Dona Antónia Adelaide Ferreira. Um símbolo marcante também é o ” Don ” da Sandeman, mundialmente conhecido, os muros de xisto, aquela paisagem abrupta também são símbolos para mim e uma Casa que eu admiro e tenho consideração é a Manoel Poças.

9 – PP – Uma palavra sobre a nossa página PORT’S PARADISE, e também o que espera dela ?

9 – JMB – Acho salutar este tipo de iniciativas, que promovem, e hoje temos que educar no bom sentido os portugueses no que toca a consumir e a apreciar o Vinho do Porto, e nesse sentido, é importantíssimo o vosso trabalho.

10 – PP – Como sabe, a nossa página foi feita para honrar, servir e dignificar este magnífico embaixador de Portugal no Mundo. Como personagem actual da história do Vinho do Porto, queira dirigir uma última palavra para os nossos leitores cibernautas ?

10 – JMB – Eu acho que era interessante, as pessoas aprofundarem mais o seu conhecimento sobre o Vinho do Porto e descobri-lo todos os dias, é natural, saudável, além disso é nosso e quando descobrirem bem o que é o Vinho do Porto, não deixaram de o consumir sempre no futuro.

11 – PP – Senhor João Mansilha Branco, Muito Obrigado.

11 – JMB – Muito Obrigado.

sep 3

© Créditos:

Para o texto

Departamento de Estudos da PORT’S PARADISE

<

p style=”text-align: center”>DE